Directo ao conteúdo
Ministério dos Negócios Estrangeiros da Finlândia

Olhar luso sobre a Finlândia - Sofia Palma - Embaixada da Finlândia, Lisboa : Actualidades

EMBAIXADA DA FINLÂNDIA, Lisboa

Rua do Possolo 76-1°
1350-251 Lisboa, Portugal
Tel +351 21 393 30 40, Fax:+351 21 390 47 58
E-mail sanomat.lis@formin.fi
Português | Suomi | Svenska | facebook
Tamanho de letra_normalTamanho de letra_maior
 
Notícias, 08-06-2017

Olhar luso sobre a Finlândia - Sofia Palma

Chamo-me Sofia Palma. O fascínio pela língua inglesa levou-me até Boston, EUA. Regresso a Portugal. Depois Estónia e quis o trabalho que rumasse até à Finlândia. Já lá vão 4 anos. Lembro-me dos primeiros dias em que caminhei por Helsínquia.

Fotografia: Sofia Palma
Porto de Helsinquia.
Porto de Helsinquia.

A sonoridade da língua lembrava o estónio, sendo que as duas línguas são fino-úgricas, ou seja, do mesmo grupo. O silêncio nos transportes públicos era algo precioso para mim, observando as paisagens e natureza finlandesas...com muita água à mistura, ou seja, os lagos e o mar. Como portuguesa, o mar sempre fez parte de mim e poder observá-lo, bem como o maravilhoso pôr-do-sol finlandês e a cultura de café em Helsínquia, trazia muita tranquilidade.

Portugal e a Finlândia têm culturas distintas, mas muitos pontos em comum. Ao longo destes anos e lecionando português a finlandeses, percebi que a Finlândia é um país mais reservado do que os vizinhos nórdicos, tal como Portugal é mais reservado do que os vizinhos mediterrânicos. Também partilham de um estilo de música particular. O “heavy metal”, sendo que as bandas finlandesas sempre foram bem-sucedidas em Portugal; Nightwish, Apocalyptica, Rasmus, HIM, entre outras. Isto leva-me a crer que a melancolia é partilhada, mesmo que de modos diferentes. Foi com um sorriso que constatei que os finlandeses também recebem muito bem o fado e o povo finlandês rendeu-se ao talento de cantoras como Mariza, Ana Moura ou Cristina Branco.

Fotografia: Sofia Palma.
Sofia Palma em Pori.
Sofia Palma em Pori.

Através dos alunos, “viajei” um pouco por toda a Finlândia, pois eram provenientes da Lapónia, Este e Oeste da Finlândia. Até hoje pretendo conhecer a terra do Pai Natal e observar a Aurora Burealis no seu esplendor. Muito haveria para dizer sobre a Finlândia. Comida: a doçaria é simplesmente deliciosa, não é tão açucarada como os doces portugueses. Assim sendo, a joulutorttu, um pastel típico finlandês e glögi, uma bebida especial de Natal (uma espécie de vinho quente) são deliciosos e confesso que, em geral, prefiro a doçaria e pastéis finlandeses aos portugueses. No que respeita à gastronomia portuguesa...é fantástica e o peixe fresco é algo de que sinto falta na Finlândia. Os finlandeses podem ser algo reservados, mas são muito educados e não é raro ver na rua um finlandês a auxiliar um turista na interpretação de mapas. A bondade chega a ser ingenuidade e é algo que muito aprecio, pois as regras são para se cumprir e as pessoas trabalham para o bem da comunidade e não individualmente. Se tentarmos conhecer melhor a cultura finlandesa, pode ser fascinante, é só darmos uma oportunidade.

Há algo muito forte que une os dois países opostos da Europa. Duas palavras com muito significado, mas que se torna difícil de explicar: na Finlândia existe sisu, ou seja, perseverança, capacidade de esforço, não desistir, é algo muito finlandês e um conceito de que se orgulham imensamente. Em Portugal, existe a saudade, um palavra que atravessou oceanos e que até hoje nos enche de lágrimas e um sorriso, ou seja, a falta de um lugar ou pessoa que nos pode entristecer, mas que nos faz sorrir ao recordar todos os momentos passados nesse lugar ou com essa pessoa...uma palavra com tradição. Mas foi na Finlândia que conheci o amor pela natureza e o impacto que tem ao ver lebres a atravessarem as ruas da capital. Algo que talvez não acontecesse noutras capitais. A importância da natureza no quotidiano finlandês é algo maravilhoso e que hoje também faz parte da minha vida. A Finlândia também é conhecida pela tradição da sauna, é um orgulho nacional e ao qual os estrangeiros também se rendem.

Se tiverem a oportunidade de viver ou visitar a Finlândia, seria um experiência muito diferente, pois aprenderiam mais sobre vocês mesmos e também sobre uma cultura que tende a não expressar de forma intensa verbalmente os seus sentimentos, mas que os mostra pelas suas ações. Eu, acabei por criar uma “família profissional” luso-finlandesa e da qual me orgulho. Felizmente, expressam-se bem, mas aprendo muitos aspetos novos semana após semana.

Uma  dificuldade que senti é a língua, um desafio enorme, mas isso seria outro capítulo. Entretanto, vou desfrutanto do paredão de Oeiras e Estoril sempre que possível e da beleza da natureza da Finlândia. Vivendo nos opostos da Europa e sempre aprendendo de um país que me recebe bem, com um sabor diferente.

Imprima esta página

actualizados 08-06-2017


© Embaixada da Finlândia, Lisboa | Informações sobre o serviço on-line | Contacto